Janine de Souza Leal Torrens

Time

Janine de Souza Leal Torrens

(Publicado em 03/09/2012)

Janine está no grupo desde o início das atividades. Já atuou em oito espetáculos e este ano participa da peça “Dias Melhores”.




1.Janine, há quanto tempo você participa do grupo Red?
Estou no grupo Red desde o início, em 2003. Mas já participava do projeto com o Fábio e a Karin antes de ser um grupo de teatro, desde 2000.

2. Você está no grupo desde o inicio das atividades, como é para você fazer parte desta história há tanto tempo?
É maravilhoso fazer parte de uma história há tanto tempo, pois esta história é a minha história, participar das conquistas, dos dias tristes e felizes é algo simplesmente lindo pra mim. Somos uma verdadeira família e compartilhamos nossas vidas, se um do time passa algum momento triste, com certeza todo o restante sofre junto, se é algum momento feliz, todos compartilham dessa alegria. Então sou uma pessoa privilegiada de poder participar de algo tão lindo que é o grupo Red.

3. De quais espetáculos do Grupo Red você já participou?
Participei das peças: “Além da Fronteira”, “Esperando Amanhecer”, “Na Força das Águas de um Rio”, “Uma História pra Contar”, “O que você tem haver com a Corrupção?”, “Dias Inesquecíveis”, “Dias mais que Inesquecíveis” e “Dias Melhores”.

4. De onde nasceu seu personagem na peça “Dias Melhores”?
Quando estávamos ensaiando a peça “Dias Inesquecíveis”, não sabia como a personagem seria, nos ensaios que os personagens vão tomando forma, o Fábio nos diz como cada personagem deve ser, é ele quem escreve e dirige as peças. A minha personagem seria alguém autoritária, que mandava no marido e em todos ao redor, e que teria rompantes de fúria, hehe.

5. Nesse espetáculo você é esposa do personagem Saraiva, interpretado por Maicon, que fora dos palcos também é seu marido. Como é essa experiência para você?
É uma experiência engraçada, pois já tínhamos feito outras peças, mas na peça “Dias Inesquecíveis” foi a primeira vez que fizemos a peça juntos, como marido e mulher. Muitas vezes chegamos na nossa casa e começamos a rir do que aconteceu naquele dia…e pelo fato de termos tanta intimidade, nos ajuda muito. O difícil é ser séria, ou segurar os risos.

6. Depois de tanto tempo no grupo, o que você acredita que mudou em sua vida?
Eu sempre digo que comecei realmente a viver após esse período que passei a participar do Red. Devido há tantos conflitos internos, aos 16 anos não tinha perspectiva na minha vida, não imaginava um futuro ou planejava alguma coisa, era alguém muito infeliz, que de forma alguma imaginava que estaria envolvida num projeto que trabalha com o amor, com a alegria, pois eu era o inverso de tudo isso. O grupo, as pessoas das quais convivo me ajudam a ser uma pessoa melhor. A cada dia, tudo sempre parece diferente dentro de mim, sempre há um motivo pra sorrir.

7. Você acredita que as pessoas podem ter uma mensagem educativa com o teatro?
Com certeza, a peça trabalha valores hoje esquecidos que são tão essenciais. Quem assiste ao teatro sempre se vê de alguma forma, pois são retratadas situações vivenciadas no dia-a-dia. Os espetáculos falam sobre o amor, a amizade, sobre o respeito, sobre conflitos internos, família e sobre o bulliyng. Sempre tratando de assuntos delicados, por isso acredito que ajuda de alguma forma a superá-los. Houve casos, em que alunos que assistiam ao espetáculo no nosso auditório e que haviam brigado na escola, ao término se abraçaram chorando, pedindo perdão, já outros que ligaram para os pais após a peça, falando que os amava. Diretoras de escolas nos disseram que com a ida ao nosso auditório, alunos com problemas de comportamento, mudaram completamente. Então acredito que essa mensagem não é apenas educativa para o hoje, mas para o resto da vida.

8. Na sua opinião, o que os filmes do grupo podem oferecer às pessoas?
Assim como as peças, os filmes sempre retratam uma realidade. E já ouvimos centenas de pessoas que assistiram aos filmes do nosso grupo e mudaram sua maneira de pensar, de agir, sua perspectiva de vida. Como sempre falamos de uma palavra pequena, mas tão significativa que é o amor, sabemos que é isso que transforma pessoas, fazendo-as mais felizes, independente da situação que se encontram.

9. Para você, qual a importância de fazer um trabalho voluntário?
É muito gratificante, porque aparentemente estamos ajudando as pessoas, mas nós é que estamos sendo ajudados. Cada abraço que recebemos, cada depoimento, assim como cada lágrima que vemos, é algo tão profundo que se torna impossível de colocar em palavras. E se hoje eu sou tão feliz e tenho superado minhas dificuldades, é porque alguém se dispôs voluntariamente a me ajudar. Sei que o que faço é tão pouco, e jamais será o suficiente, mas faço por gratidão a Deus, por tudo aquilo que vivo. E é um sentimento de quanto mais você dá, mais você recebe.

10. O que é o Grupo Red para você?
A expressão de um imenso amor, de tudo o que vivemos e de tudo o que fazemos. Buscamos influenciar as pessoas para o bem, e usamos o amor, porque esse é o idioma que todos entendem.

11. Deixe uma mensagem para todos os nossos leitores.
“O amor é o único bem que aumenta quando é repartido”. Por isso ame, viva, acredite e seja feliz.

Posted in Time. Bookmark the permalink.

Comments are closed.